Sopro

 

cropped-pexels-photo-5806312.png

 

Soprei um punhado de sorrisos
Que te enviei mentalmente
Neles iam embrulhados os risos
Que se tinham perdido recentemente

Sei hoje, que já cumpri a missão
Que me foi dada não sei por quem
Nasci em contramão
Num mundo em ebulição
Mas com a certeza do caminho
Que me foi dado pelo destino
Depois do feito fico pequenina
Tal e qual como quando era menina
Me escondo debaixo das mantas
Com medo de tudo e de todos
Sem nunca reconhecer
Que me livrei dos tolos
Dos fracos , frustados, invejosos
Continuando nos humanos a crer
Com receio de julgar ou magoar
E negando o que me foi dado a ver
Não reconhecendo a coragem
E a força que tive até me recolher

Aqui me mantenho a aguardar
Que um dia alguém entenda
E que venha de alma abraçar
Cuidar e amar de forma a que o medo
Das mantas e de mim se desprenda.

Até lá envio sorrisos
Sem cobranças
E para os perdidos e indecisos
Envio umas lindas mantas

 

Paula Gouveia 2017

Anúncios

Mãe, Mulher, Empresária. Simplesmente Eu e as palavras, que me aquecem a alma e me fazem sorrir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: